Pelourinho

Ter, 19 Jul, 2011 (Actualizado: Sáb, 23 Jul, 2011)

Pelourinho
Pelourinho

Padrão distintivo da autonomia administrativa dos concelhos, vilas e cidades, símbolo do Poder Municipal o pelourinho de Macieira de Cambra, manuelino, datado do séc. XVI, corresponde precisamente à concessão do foral dado por D. Manuel I, em Lisboa, a Macieira de Cambra, a 10 de Fevereiro de 1514.

Classificado como imóvel de interesse público pelo Decreto N.° 23122 de 11-10-1933 está situado em frente ao antigo edifício dos paços do concelho, próximo da Igreja Paroquial.

É uma picota muito singela, mesmo algo rude, composta por base, coluna e remate, sem capitel. A base da coluna é um bloco de secção octogonal de boas dimensões, no qual assenta um plinto quadrado, e o fuste. Este tem secção octogonal e faces lisas, sendo directamente encimado por um bloco quadrangular alto, rematado em pirâmide. As faces deste bloco são decoradas com heráldica muito esquemática, incluindo três cruzes, uma delas pateada e inscrita num círculo, e as armas nacionais.

Assenta em três degraus quadrados, onde se insere a coluna oitava encimada por um capitel quadrangular decorado nas faces e com remate piramidal. A decoração da pinha apresenta vários emblemas como seja o escudo das quinas, a cruz floreada dos Pereiras, Condes da Feira e Donatários do Concelho, a esfera armilar e a cruz latina.

Sendo o pelourinho lugar onde se afixavam os éditos ou se faziam os avisos, era também o local onde se expunham os condenados e se realizavam a execução de penas sendo por isso, dotado de correntes e outros objectos de ferro para prender. Em Macieira, ainda são visíveis, na pedra do pelourinho, as marcas de fixação desses acessórios.

sitemap xml