início > macieira de cambra > património > religioso > igreja de nossa senhora da natividade

Igreja de Nossa Senhora da Natividade

Igreja Matriz
Macieira de Cambra

Ter, 19 Jul, 2011 (Actualizado: Qua, 27 Jul, 2011)

Igreja Nossa Senhora da Natividade e Cruzeiro
Igreja Nossa Senhora da Natividade e Cruzeiro

A Igreja Paroquial de Macieira de Cambra, da invocação de Nossa Senhora da Natividade, está situada no centro da Vila de Macieira de Cambra, na Praça da República, inserida no interior de um adro murado e pavimentado a calçada à portuguesa. Implantada sobre uma plataforma, a ela se acede pelo lado da fachada principal, por uma escadaria granítica, deslocada lateralmente da posição primitiva que era a do enfiamento do eixo antigo a - Escaleira - para quem vinha do vale e, lateralmente, a partir do largo que constituía o centro do núcleo antigo de Macieira de Cambra, onde se situa o Pelourinho e a antiga Casa da Câmara.

A igreja, erigida no século XVII, é um exemplar de arquitectura maneirista, de planta longitudinal composta por nave, capela-mor duas capelas laterais, simétricas, abertas nos flancos junto à cabeceira, duas sacristias e torre sineira quadrangular, à direita da fachada principal. A antiga sacristia, - outrora do Sacramento, apresenta duas meias colunas integradas, de capitéis jónicos e que tudo indica ser obra mais antiga do que o edifício - do lado esquerdo, encaixa entre a capela lateral e a capela-mor. Do lado oposto, a nova sacristia segue-se à torre e encontra-se adossada à capela lateral. Ainda desse lado, mas já na zona da capela-mor, encontra-se um pequeno corpo destinado aos balneários.

No exterior, frontaria larga e simples, de cantaria, pilastras angulares rematadas por pináculos é encimada por uma cruz, apresenta a torre sineira do lado direito ligada ao corpo do edifico. Fachada revestida a azulejo com dois painéis representando Nossa Senhora da Natividade e o Sagrado Coração de Jesus. A torre de quatro ventanas termina numa cúpula semi-esférica.

Por cima do portal, de cantaria granítica e a ele ligado, a janela do coro é ladeada por pináculos e encimada por um pequeno frontão triangular.
No interior, de uma só nave, distingue-se o tecto fechado ao centro em dez série de cinco caixotões e o púlpito de bacia de pedra, apoiado numa mísula.

Os retábulos do altar-mor, das capelas e os colaterais datam de finais do séc. XIX.
Na imaginária, uma das esculturas mais antigas é obra do séc. XVII, em calcário da oficina coimbrã e representa a Virgem do Rosário com o Menino, bem como a imagem da Padroeira, em madeira, do séc. XVII, actualmente colocada junto ao altar-mor. Do séc. XVIII temos em madeira, as imagens de S. Francisco e S. Domingos.

Do séc. XVII, é também a custódia de prata dourada, do tipo cálice, com dois pares de colunelos jónicos, pingentes de cristal em vez de campainhas, mostruário de motivos salientes com copa e cúpula, rematando com a imagem de Cristo Ressuscitado.

sitemap xml